Pegue o seu casaco, pois o inverno está chegando…

Hey!

E nessa quarta-feira fria, nada melhor do que falar de A Guerra dos Tronos o primeiro livro da saga épica escrita por George R. R. Martin, As Crônicas de Gelo e Fogo. Podem ler a resenha tranquilamente, pois não terá spoilers. Então, vamos em frente e que R’hllor esteja conosco!

Imagem

😛

Imagem

A história é gigantesca e possui inúmeros personagens, vou tentar aqui falar de todos aqueles que tem importância no primeiro livro da série – lembrando que não há um personagem principal na trama e um personagem ignorado no primeiro livro, pode se revelar importante no decorrer da história.

Imagem

Bem-vindo a Westeros uma terra medieval onde as estações duram anos. Após um verão de 10 anos anos, o inverno finalmente está para chegar e dizem que quanto mais longo o verão, pior é o inverno. Para complicar ainda mais, logo no prólogo vemos a volta dos Outros, criaturas antigas, malignas e poderosas. Há muito tempo, foi feito uma Muralha de Gelo para manter tais abominações distantes do restante de Westeros, esta muralha é protegida pela patrulha da noite, que agora está em sua pior época; já não possui o mesmo número de soldados e a maioria de seus castelos estão abandonados às moscas, já que não há pessoas suficientes para guarnecê-los. Com toda essa fragilidade, será que conseguirão manter os Outros afastados de seu povo?

Imagem

Fanart da família Stark com os atores que os interpretam: Sean Bean (Ned), Isaac Hempstead-Wright (Bran), Art Parkinson (Rickon), Michelle Fairley (Catelyn), Maisie Willians (Arya), Sophie Turner (Sansa) e Richard Madden (Robb)

A família Stark é a guardiã do norte e vive em um reino chamado Winterfell. Formado pelo patriarca Eddard Stark (ou Ned para os amiguinhos íntimos), sua esposa Catelyn Stark (ou Cat – miau – para o marido e o friendzone forever Mindinho) e seus cinco filhos: Robb, Sansa, Arya, Bran e Rickon. Ned também possui um filho bastardo chamado Jon Snow (na história, os bastardos não recebem o sobrenome da família… poor Jon) que é odiado por Catelyn, já que é a prova de que seu honrado marido não era tão honrado assim e resolveu amolar sua espada em outra pedra. Mais tarde, Jon Snow resolve se unir a patrulha da noite inspirado em seu tio Benjen Stark.

O símbolo da casa Stark é o Lobo Gigante, criatura que não era vista há anos, até que um dia, Eddard e seus filhos Jon, Robb e Bran encontram uma fêmea morta e uma ninhada de filhotes, o número exato para cada um de seus filhos, inclusive um albino que é entregue a Jon Snow (que combina com o bastardo pelo fato de ser diferente dos outros).

Um dia, a família Stark recebe a visita do rei Robert Baratheon; este traz a notícia de que a antiga mão-do-rei morreu e oferece o cargo ao seu velho amigo Ned Stark.  Assim, o grande patriarca precisará viajar para a capital – Porto Real – e viver a serviço do rei como o seu homem de confiança, para lhe dar conselhos e o ajudar a comandar este mundo de feras. Também recebe a proposta para unir as duas famílias, casando sua filha Sansa Stark com Joffrey Baratheon e mais tarde – quando ambos tiverem idade suficiente – , Arya Stark com Tommen Baratheon.

E assim, Ned Stark deixa para trás o conforto de seu lar e com suas duas filhas, parte para Porto Real, lá descobre, que as coisas são mais complicadas do que parecem e começa a suspeitar de que a antiga Mão-do-Rei foi assassinada! :O

Um pouco antes dele sair, Bran Stark é empurrado de uma torre – ficando paraplégico – por Jaime Lannister ao fraga-lo tendo relações sexuais com sua irmã-gêmea, Cersei Lannister – esposa do rei Robert. Sim, as sombras que cercam Porto Real provarão ser ainda mais escuras do que Ned poderia imaginar.

Imagem

Fanart representando Cersei, Jaime e Tyrion

Não poderia deixar de falar deles um pouco – mesmo já tendo explicado o plot do primeiro livro. Os Lannisters são nada mais, nada menos do que a família mais rica e influente de Westeros. O patriarca é Tywin Lannister um homem frio e implacável pai dos gêmeos Cersei e Jaime e do filho anão Tyrion – também conhecido como Duende. Tywin dedicou sua vida tentando reerguer a sua casa, após o fracasso de seu pai e o seu êxito veio ao conseguir derrubar a família Reyne de Castemere – conquista que foi imortalizada na canção The Rains Of Castemere:

“E quem é você, disse o orgulhoso senhor,
Pra que eu deva me curvar tanto?
Só um gato com um manto diferente,
Essa é toda a verdade que eu sei.
Num manto de ouro ou num manto vermelho,
Um leão ainda tem garras,
E as minhas são longas e afiadas, senhor,
Tão longas e afiadas como as suas.
E assim falou, e assim falou,
O senhor de Castamere,
Mas agora a chuva chora no seu salão,
E ninguém está lá para ouvir.
Sim, agora a chuva chora no seu salão,
E nenhuma alma está lá para ouvir.”
Os lannisters eram aliados dos Targaryen (família que governou Westeros durante séculos, também conhecida pelo fato de possuirem dragões – que acabaram extintos 100 anos antes da própria família), mas se uniu à Robert Baratheon quando este conquistou o trono, casando mais tarde sua filha sua filha Cersei com o rei.
Imagem
Daenerys Targaryen interpretada por Emilia Clarke
Do outro lado do mar estreito vive Daenerys Targaryen junto com seu irmão Viserys. “Mas, espere, eles não estavam mortos?” Não! Depois da Batalha do Tridente – onde o irmão mais velho Rheagar Targaryen foi morto por Robert Baratheon -, Viserys e sua mãe, Rhaella  (que estava grávida de Daenerys) foram mandados para Pedra do Dragão e lá Rhaella morreu no parto. A batalha contra Robert já estava perdida e após a morte do rei Aerys Targaryen e de seu filho mais velho, os únicos herdeiros vivos eram Daenerys e Viserys, então, antes da guarda de Pedra do Dragão se render, Sor Willen Darry ao lado de alguns poucos fiéis a dinastia Targaryen, levaram os irmãos para a Cidade Livre de Bravos.
Viserys cresceu com o desejo de reerguer a dinastia Targaryen e então, para conseguir um exército, casou sua irmã com o Khal Drogo o líder de um grupo nômade e selvagem, os Dothraki. Conhecidos como Senhores dos Cavalos e por sua selvageria e violência, possuem a tradição de usar tranças nos cabelos que representam o número de pessoas que mataram; quando perdem uma batalha, tem suas tranças cortadas e se torna motivo de piada e vergonha.
Durante o casamento, a jovem Targaryen ganha três ovos de dragões que se tornaram pedras ao longo dos anos, além dos serviços de um cavaleiro vindo de Westeros chamado Sor Jorah Mormont. Daenerys se vê cercada por um povo estranho, casada com um selvagem que nem ao menos fala o seu idioma e submissa a crueldade do irmão, porém, acaba provando que não é uma garotinha tola como Viserys acredita e esse amadurecimento, vai acabar prejudicando a ascensão do irmão…
E isso é tudo que posso falar sobre o primeiro livro sem soltar nenhum spoiler!
Segue abaixo a minha opinião sobre o livro:
 Imagem
Fanart representando Jon Snow e seu lobo, Ghost.
Sou totalmente suspeito para falar da série As Crônicas de Gelo e Fogo, já que sou apaixonado pelo enredo e fã incondicional de George R. R. Martin. A saga apesar de ser de Fantasia, não é focada na parte mágica – essa vai crescendo aos poucos – e sim nas relações humanas e seus conflitos. É interessante perceber que mesmo os personagens do livro, não acreditam em tais criaturas fantásticas.
Outro fato que torna o livro dinâmico é a divisão dos capítulos serem feitas através do ponto de vista de cada personagem, tornando a história abrangente e fazendo com que conheçamos cada ponto deste mundo fantástico criado pelo Sr. Martin. Para aqueles mais ortodoxos, alguns assuntos podem incomodar, já que o livro está recheado de casos de incesto, estupros, palavras de baixo calão e violência, muita violência; ao contrário do que muitos pensam, isso não interfere na história, apenas a torna mais palpável para os seus leitores, nos fazendo submergir em um mundo nunca visto antes.
É válido dizer que As Crônicas de Gelo e Fogo é uma obra prima da literatura fantástica atual e pode representar para a nossa geração o que Tolkien representou para a dele, sendo lembrado através dos anos como um grande gênio da fantasia.
Saga mais do que indicada!
“Quando se joga o jogo dos tronos, você vence ou você morre. Não existe meio-termo” – Cersei Lannister
Anúncios

Publicado por

Bruno M. Foster

Leitor assíduo. Pianista em formação. Aspirante a escritor. Compositor. Apaixonado pelas artes. Fã incondicional de Damien Rice, Amy Lee, Fiona Apple, Lana Del Rey, Gerard Way e Regina Spektor. Idolatra Edgar Allan Poe, George R. R. Martin, Stephen King, William Shakespeare, Arthur Rimbauld, J.K Rowling, Charles Dickens, Jonathan Safran Foer, Álvares de Azevedo, Clarice Lispector, Ernesto Sabato, George Orwell e etc... Comum. Um tanto tímido, mas tentando quebrar alguns muros. Está sempre procurando inspiração nos mais improváveis lugares, desde alguém interessante na rua à uma árvore que parece solitária em uma praça. Superando o negativismo. Aprendendo a não se concentrar no lado ruim do ser humano e passar a observar as coisas boas. Cinéfilo iniciante. Sonha em ser escritor, cantor e dividir os mundos existentes em sua cabeça com as pessoas. Usa o blog para tentar encontrar pessoas com os gostos parecidos ao dele.

2 comentários em “Pegue o seu casaco, pois o inverno está chegando…”

Comente e deixe o Mágico feliz!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s