Os irmãos Baudelaire e suas Desventuras em Série…

Hey!

Zapeando os canais há alguns anos atrás encontrei um filme de nome peculiar e uma narração bem diferenciada daqueles que eu costumava assistir na época. Em 2011, descobri que o filme tinha se baseado em uma série de livros e na primeira oportunidade, comprei o box. E foi assim que mergulhei nas desaventuradas aventuras dos irmãos Baudelaire em Desventuras em Série.

a-series-of-unfortunate-events-best-book-ever-books-lemony-snicket-photography-Favim.com-105133

A história já começa com a maior desventura de todas: os três irmãos Baudelaire – Violet, Klaus e Sunny – estavam aproveitando um passeio à praia quando o Sr. Poe (o contador da família) aparece para informá-los que houve um incêndio na mansão onde viviam e seus pais morreram. Agora, sendo órfãos e não tendo parentes próximos, serão obrigados a viver com um primo distante: o conde Olaf. Porém, ao chegarem em sua casa, percebem que o conde é um homem pérfido interessado apenas na fortuna deixada para as crianças.

a-series-of-unfortunate-events-netflix

A série contém 13 livros e há inúmeros cenários e personagens excêntricos, muitas reviravoltas e tudo narrado pela escrita deliciosa do Lemony Snicket (que é, de certa forma, também um personagem na história).

Confesso que a primeira coisa que me vem à cabeça quando penso nesses livros é: quanta criatividade! O mundo em que se passa a história de desventuras é quase um mundo alternativo, com influências steampunk e com algumas coisas mais modernas. Depois disso temos os personagens principais, Violet, Klaus e Sunny que são crianças muito inteligentes e cada uma dotada de um talento em especial que acaba ajudando em inúmeras situações. Violet é uma grande inventora, Klaus é um devorador de livros e Sunny – que ainda é um bebê – possui três dentes bem afiados, além de uma inteligência incomum, mas não tão absurda o que mantém até certo ponto a verosimilhança.

968full-lemony-snicket's-a-series-of-unfortunate-events-screenshot

O próprio Conde Olaf é um personagem bem peculiar, um vilão teatral e que apesar de ser bem pérfido, mantém certa comicidade (não tão exagerada como Jim Carrey interpretou na adaptação). E todos os personagens que vão surgindo depois tanto os bons quanto os maus são simplesmente únicos e isso retorna ao pensamento de: UAU, QUE IMAGINAÇÃO!

O livro pode ter certos ares de ser infantil quando você o vê repleto de ilustrações e a narração do primeiro livro, mas a história segue quase a mesma linha de Harry Potter, por exemplo, ao ir amadurecendo a cada livro; tanto os personagens quanto a escrita. A história também é cheia de tiradas excelentes que nos faz rir, mas também momentos em que sentimos tristeza e revolta pelos desafortunados irmãos. Não podemos reclamar, já que na sinopse de cada livro o autor já avisa que não se trata de uma história feliz e que seria melhor largar e ir ler outra coisa e é justamente essa “anti-propaganda” que faz com que o leitor sinta ainda mais vontade de ler.

vlcsnap-2011-05-28-11h07m03s1291

Os primeiros livros se iniciam como aventuras isoladas; os irmãos Baudelaire indo para uma nova casa e sendo perseguidos por Olaf. Entretanto, vários mistérios vão surgindo (mistérios que são respondidos com novos mistérios) e isso permeia toda a história, fazendo com que seja impossível abandonar os livros. E bem, quanto ao final (fiquem tranquilos, pois o Mágico não gosta de dar spoilers :P), eu vi que algumas pessoas não gostaram. Quanto a mim, digo que fiquei muito satisfeito e achei um bom final – agridoce como o próprio autor propôs.

Ah, quanto a adaptação de 2004. O filme cobre apenas os eventos dos três primeiros livros e com exceção de algumas mudanças, é bem fiel. E as crianças escolhidas para interpretar os Baudelaire são extremamente fofas e talentosas. Minha única reclamação é o fato do excesso de comicidade de Olaf dada por Jim Carrey – mas nada que atrapalhe tanto assim. Uma pena não terem continuado com os filmes. Li boatos que a Netflix comprou os direitos e irá transformar em série, então, oremos!

tumblr_m5cz2fonhI1rx3q30o1_500

Enfim: personagens ultra carismáticos, escrita deliciosa, excelentes cenários, combinação perfeita de humor e drama = minha série literária favorita ao lado de Harry Potter.

Espero que tenham gostado.

E por hoje é só, pessoal!

Um beijo do Mágico e voltem sempre!

:*

tumblr_n2dp3lJOru1tpizeeo1_500

Anúncios

Publicado por

Bruno M. Foster

Leitor assíduo. Pianista em formação. Aspirante a escritor. Compositor. Apaixonado pelas artes. Fã incondicional de Damien Rice, Amy Lee, Fiona Apple, Lana Del Rey, Gerard Way e Regina Spektor. Idolatra Edgar Allan Poe, George R. R. Martin, Stephen King, William Shakespeare, Arthur Rimbauld, J.K Rowling, Charles Dickens, Jonathan Safran Foer, Álvares de Azevedo, Clarice Lispector, Ernesto Sabato, George Orwell e etc... Comum. Um tanto tímido, mas tentando quebrar alguns muros. Está sempre procurando inspiração nos mais improváveis lugares, desde alguém interessante na rua à uma árvore que parece solitária em uma praça. Superando o negativismo. Aprendendo a não se concentrar no lado ruim do ser humano e passar a observar as coisas boas. Cinéfilo iniciante. Sonha em ser escritor, cantor e dividir os mundos existentes em sua cabeça com as pessoas. Usa o blog para tentar encontrar pessoas com os gostos parecidos ao dele.

Comente e deixe o Mágico feliz!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s